Como captar e armazenar a água da chuva de forma segura?

0
79

A crise hídrica já é um problema real. A cada dia, vemos mais notícias sobre quedas nos sistemas de abastecimento hídrico, racionamento de água, escassez de chuvas e outros problemas. Dessa forma, precisamos pensar em soluções para driblar a dificuldade e economizar esse líquido tão essencial.

Uma delas é o reaproveitamento da água da chuva, medida prática e sustentável que pode ser feita tanto pelo governo nas cidades quanto por você, na sua própria casa.

Sabendo disso, a Hometeka preparou um guia com dicas para captar e armazenar a água vinda da chuva com segurança – por exemplo, você sabia que não se pode beber a água coletada?

Se você também está preocupado com essa situação, continue acompanhando e veja como coletar, armazenar e higienizar de forma correta essa água que, literalmente, está caindo do céu.

Mas, primeiro: por que captar água da chuva?

minicisterna

Existem diversas vantagens na captação de águas pluviais. Além de ser ecologicamente amigável, o reaproveitamento é adaptável às suas necessidades e pode resultar em uma boa economia na conta de água. Em tempos de crise, bem que precisamos, né?

Outro benefício é promover uma cultura sustentável na vizinhança – ao adquirir uma cisterna (o sistema para reserva de águas pluviais), você pode influenciar mais pessoas a fazerem o mesmo, seja em projetos de construção ou em suas casas.

Além disso, armazenando a água você também pode ajudar a conter enchentes provenientes de chuvas mais fortes, o que poderia acarretar em problemas maiores para sua cidade.

cisterna em escola

A atitude é tão positiva que já existem leis de incentivo para promover a conservação e uso consciente das águas pluviais em diversas cidades e estados brasileiros, como Santa Catarina, Tocantins e Minas Gerais.

Também há diversos manuais de como captar a água da chuva para fins domésticos. Um deles é o manual do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), de São Paulo, que explica de maneira bastante didática como coletar e armazenar água da chuva em situações emergenciais, além dos cuidados que se deve tomar ao fazê-lo.

Legal, como faço para coletar?

Sistema vertical de captação e armazenamento de água da chuva

Antes de começar o processo de captação, é importante conferir se:

  • você possui algum tipo de filtro (uma tela, por exemplo) para separar impurezas da água, como poluentes presentes no ar, folhas e pedras;
  • possui um material opaco para cobrir o tambor de armazenamento e manter a água no escuro, o que impedirá o crescimento de bactérias e algas provenientes da luz;
  • possui água sanitária para tratar a água coletada;
  • o sistema de armazenamento (tambor, calhas, tubos) está bem limpo e sem furos;
  • o tambor possui uma torneira para facilitar o acesso à água armazenada;
  • seu reservatório possui uma capacidade adequada à sua necessidade – analise fatores como o tamanho do seu espaço e quanto você pode gastar em um sistema de captação;
  • você tem algum mecanismo para conter o transbordamento do sistema, como um tambor reserva conectado ao principal.

    Importante: além da crise hídrica, uma outra ameaça muito grande no Brasil é o Aedes aegypti, o famoso mosquito da dengue, que também transmite a Chikungunya e a Zika. A fêmea deposita seus ovos em locais de água parada, então, certifique-se de que seu tambor de armazenamento está bem fechado para não dar chance à proliferação do mosquito.

manutenção de reservatório de água

E para deixar a água limpa?

Para higienizar sua água, você vai precisar de água sanitária. Segundo o IPT, são recomendados 10 mL de água sanitária (uma colher de sobremesa) para cada 100 L de água – se seu tambor for maior ou menor, basta fazer a regrinha de três para chegar à proporção correta. O cloro da água sanitária age sobre a água armazenada por até dois dias – depois disso, é necessário fazer o precesso de higienização novamente.

Veja também:  Você achou nossa página secreta 🔒

Cisternas subterrâneas podem armazenar água por mais tempo por estarem menos expostas ao ambiente. Porém, têm um custo mais elevado de instalação.

Ok, aí já posso fazer tudo com a água?

Não. A água da chuva pode ser utilizada para fins não potáveis, como lavar o carro, o chão, dar descarga e regar as plantas. Porém, em hipótese alguma você deve beber essa água ou utilizá-la para preparar alimentos, pois mesmo com os processos de filtragem e cloragem ela pode continuar com micro-organismos prejudiciais à saúde.

Minicisternas

Com os projetos de lei, muitos municípios desenvolvem cisternas de grandes proporções para atenderem às populações. Assim, muitas pessoas começaram a construir seus próprios reservatórios. Uma delas foi o técnico agropecuário Edison Urbano, que desenvolveu a “Minicisterna”, sistema para a captação de água da chuva que custa entre R$150 e R$300. Ele integra o movimento Cisterna Já, que capacita as pessoas a construírem suas próprias minicisternas.

Confira o vídeo em que Edison explica como fazer uma minicisterna:

Waterbox

Uma das principais vantagens dessa opção é o seu tamanho: com 1,77 m de altura, largura de 55 cm e profundidade de 12 cm, a Waterbox é ideal para locais com menos espaço, como apartamentos e casas sem quintal.

Você pode adquirir uma Waterbox na loja da Hometeka:

Não podemos dizer que instalar um sistema de armazenamento de água da chuva seja a tarefa mais fácil do mundo. Por isso, se você não estiver seguro de que pode fazer tudo sozinho, não hesite em contratar um profissional para instalar ou pelo menos supervisionar a instalação e manutenção da cisterna. Lembre-se que o dinheiro que você gastar na contratação será recuperado com a economia na conta de água 😉

Por fim, tenha em mente que, para adotar essa medida, é necessário disciplina. Então, não deixe de tomar os cuidados necessários para que seu sistema esteja sempre em bom funcionamento. Isso só trará benefícios a você e ao meio ambiente.